31 de maio de 2013

Resenha de "O Símbolo Perdido" de Dan Brown


Sinto uma onda crescente de raiva… e de confusão.
A hora não é de compaixão… mas de vingança, de transformação… porém, mesmo assim, meu pai se recusa a ceder, a cumprir seu papel, a canalizar sua dor e sua raiva para a lâmina da faca e cravá-la no meu coração.
Estou amarrado aqui, suspenso… preso à minha casca terrena.
Meu pai passa suavemente a palma da mão pelo meu rosto para fechar meus olhos que se apagam.
Sinto as amarras se soltarem.

Depois de ir correndo até o Capitólio dos Estados Unidos para realizar uma palestra a pedido de seu amigo Peter Solomon, Robert Langdon descobre que caiu numa armadilha. Robert então descobre que Peter na realidade havia sido sequestrado, e o que o sequestrador queria era um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. O único jeito de salvar Peter seria dando o que o sequestrador queria e para isso, Robert embarca numa grande aventura com a ajuda de Katherine, irmã de Peter.

Primeiro de tudo, eu quero dizer que o Dan Brown manda muito bem e ele virou um dos meus escritores preferidos. É impressionante o jeito que ele escreve, te deixando vidrado, louco, alucinado pelo livro. Toda vez que eu o pegava para ler, me sentia como uma pessoa que tem asma, está com crise e usa a bombinha. Eu não sei o nome disso, mas era bem assim o meu sentimento. Foram vários os pontos positivos que me deixaram fissurada pelo Dan Brown, e com certeza, o fato de o livro estar relacionada à maçonaria é um deles. Maçonaria sempre foi um assunto que despertou meu interesse, e por mais que eu não acredite que tudo relacionado ao assunto abordado no livro seja verossímil, deixou a história com um gostinho a mais.

Nas primeiras 90 páginas, foi bem massante continuar a leitura, porém não me arrependi nem um pouco de ter ido adiante. Com uma pitada de ação, a história ficava cada vez mais eletrizante e deixava com mais curiosidade. No final, é finalmente, revelada o que a tal da Pirâmide escondia, e foi aí que surgiu uma -pequena- decepção. Não consegui acreditar naquilo que eu lia, porém foi interessante o que o autor quis mostrar no final da obra. Várias pessoas detestaram, só que eu amei, porém eu só daria este livro para quem gosta de sociedades secretas, segredos, simbologia e coisas relacionadas e, como eu gosto bastante disso, para mim foi uma leitura MARAVILHOSA. Ah! E também achei bastante interessante o autor ter abordado sobre a ciência noética, que para muitos, assim como para eu, é ou era um assunto desconhecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário