18 de janeiro de 2013

Resenha de "A Menina que não Sabia Ler" de John Harding

Atenção! Essa resenha pode conter spoilers.


A ausência de Giles, tão logo o jovem Van Hoosier e eu atravessamos as portas, deu ao meu visitante a chance de soltar as rédeas comigo. Ele me incomodou, obcecado que estava para que eu permitisse que ele me beijasse. Eu não tinha uma objeção determinada, sendo como era, não muito mais jovem do que Julieta quando se apaixonou, mas o jovem Van Hoosier não era um Romeu. Tinha uma cabeça grande e olhos como bolas que saltavam das cavidades. Parecia um inseto gigante. Agora, sou alta para a minha idade, mas Theodore era ainda mais alto, sem metade da carne; ele parecia um varapau, o que não me agradava, pois jamais fui dessas pessoas que gostam de ser olhadas de cima.

Florence sempre fora uma menina que não sabia ler e nem escrever por ter recebido a ordem de seu tio para nunca ser alfabetizada, mas sua vontade de ler era maior do que qualquer ordem, aprendendo a ler sozinha, por si só. As tardes passavam rapidamente quando estava debruçada sobre um livro, mesmo quando o jovem Van Hoosier vinha visitá-la. Porém, tudo muda quando uma nova preceptora assume o controle da casa e começa a ameaçar seu irmão Giles. Até onde Florence iria para salvá-lo?

Sabe aquela sensação de já acabou? Então, foi bem isso que eu tive. O livro traz muitas perguntas, o que nos dá muita vontade de lê-lo cada vez mais, porém no final nada é respondido, deixando o leitor com uma enorme interrogação na cabeça. O nome traduzido em português ficou também sem nexo pois o foco principal da obra não era sobre uma menina que não sabia ler, mas sim de uma menina que quando começou a ler, ficou com uma imaginação super fértil a ponto de achar que sua preceptora era uma demônio.

Existiram pontos positivos na obra, como por exemplos os personagens, que foram muito bem criados, tendo cada um uma personalidade definida e singular e também o fato de que o livro desperta a curiosidade do leitor, fazendo que ele não consiga parar de lê-lo por um instante, mas o pontos negativos do livro foram muito evidenciados, como por exemplo o final, onde a menina se torna uma assassina a sangue frio e mata um dos personagens mais queridos da história.

5 comentários:

  1. Não li a resenha porque ainda quero ler esse livro essa semana -q kljaLKJDL

    xoxo, Thaaay
    http://www.chovendoalgodaodoce.com

    ResponderExcluir
  2. Larissa, tem gente que gosta do livro e tem gente que faz muuuitas criticam. Em relação ao título, eu concordo plenamente.
    Vc termina de ler e não sabe quem é o tio deles, não sabe direito porque a mãe do Giles faz isso, aliás, não me lembro, mas acho que a mulher era mãe dele, não é? Enfim... Mas apesar de tudo isso, eu gostei muito do livro porque é uma história com um cenário antigo, e parece uma escrita antiga, e eu adoro.

    clicandolivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Que pena que você não curtiu o livro. :/
    Eu estava achando que seria algo no estilo A Menina Que Roubava Livros, mas pelo visto me enganei.
    Beijos,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
  4. Olha, com todo respeito, eu acho que você não entendeu o livro (falo das perguntas que ficaram no ar depois). Esse é o meu livro favorito. No começo ele é gostoso de ler, embora tenha seus momentos maçantes. Depois, na parte dois até o último capítulo, ele é assustador, mexe com o seu psicológico e é viciante. Agora, ás respostas.
    Eu fiz uma análise enorme, com analogias, a minha história com o livro, respostas para perguntas que não foram respondidas (na verdade foram, só que implícitamente). Resumindo, para o comentário não ficar muito grande: (SPOILERSSS GRAVES!) A Florence, além de ter uma imaginação enorme (imaginação é o tema do livro), era obssecada pelo irmão e era louca. E ficou mais á beira da loucura, tipo a Nina do filme "Cisne Negro", após matar a srat. Whitaker (falo disso depois), e a srat. Taylor possivelmente a drogava diariamente. A srat. Whitaker não se desequilibrou por acaso. A Florence deu uma "remadada" na cabeça dela. A srat. Taylor era a mãe de Giles e o tio era pai das crianças. Espero que tenha compreendido o livro. Eu adorei o final, não poderia ser mais perfeito. Espero ter ajudado. Também espero um filme. Charlize Theron como Taylor. Chloë Grace Moretz como Florence. Tim Burton ou Darren Aronofsky ("Cisne Negro) dirigindo. Leo Bill como Theo. Colleen Atwood desenhando os figurinos.

    ResponderExcluir
  5. <"color: red;">[SPOILER] Desculpa, mas concordo com o Yago que você não entendeu o livro.

    O primeiro aspecto que você deve observar é o seguinte: o livro é contado pela Florence, então nós só sabemos o que ela sabe. E ela termina a história sabendo apenas aquilo e ignorando tantas coisas que estão diante dos seus olhos porque ela é obcecada pelo irmão. Mas você não é obcecada como ela, e pode compreender tudo isso e ligar todas as peças.

    Fiz uma resenha no meu blog há muito tempo. Esse é o link: http://amorporclassico.blogspot.com/2011/10/leitura-critica-09-menina-que-nao-sabia.html

    E para não parecer que vim fazer propaganda, colo a parte que explico todos esses detalhes:

    -O tio (pai) de Florence negligencia as crianças e proíbe Florence de aprender a ler por ter se decepcionado com sua segunda esposa, a mãe de Giles, quando lhe ofereceu o passaporte para o universo literário.
    -No álbum de família, as fotos da mãe de Giles estão recortadas para que ninguém conheça suas feições.
    -Florence mata a Srta. Whitaker porque ela lhe impede de ir à biblioteca.
    -A Srta. Taylor evita a mãe de Theo porque esta senhora lhe representa um perigo; ela procurou este emprego específico porque queria se aproximar de Giles; ela também não se impressiona pela casa quando chega porque ela já conhece o ambiente e pede às crianças para mostrarem a casa para que possa ver as mudanças que ocorreram com o tempo; ela permite que Florence leia porque ela também ficou fascinada quando pode aprender a ler.
    -Florence quase percebe ao queimar a foto que encontrou na bíblia da Srta. Taylor que já tinha visto aquela foto antes no álbum de família secreto e ela percebe alguma familiaridade no rosto da Srta. Taylor porque ela é a mãe de Giles, então eles se parecem e é por isso que ela passa as madrugadas no quarto do menino.
    -Não existe nada de anormal no livro, somente Florence. A Srta. Taylor não anda sobre águas, não vê pelos espelhos e não é o fantasma da Srta. Whitaker. Somente Florence é uma menina perturbada de imaginação fértil. Tudo é narrado em primeira pessoa para influenciar o leitor a acreditar no que a narradora personagem acredita.


    Espero ter ajudado ;D

    ResponderExcluir