11 de outubro de 2012

Resenha de "O Melhor de Mim" de Nicholas Sparks

Atenção! Essa resenha contém spoilers.

- Já não somos tão jovens assim...
- Somos, sim - insistiu Dawson - Ainda temos o resto da vida pela frente.
- Eu sei - sussurrou ela - É por isso que preciso que você faça algo por mim.
- Qualquer coisa.
Ela apertou a ponta do nariz, tentando conter as lágrimas.
- Por favor... não me peça para ir com você, porque, se fizer isso, eu vou. Por favor não me peça para contar a Frank a nosso respeito, porque eu também o farei. Por favor, não me peça para abandonar minhas responsabilidades ou minha família - Ela respirou fundo, sorvendo o ar como se estivesse se afogando - Eu te amo e, se você também me ama, não pode me pedir para fazer essas coisas.

Amanda e Dawson se conheceram durante a aula quando fizeram duplas juntos e desde aquele momento se apaixonaran perdidamente. Ela tinha tudo, uma família exemplar, dinheiro e popularidade, tudo o que uma garota sempre quis, e ele não tonha onde cair morto, não tinha dinheiro, família, nada. Porém, o destino muda suas vidas de um jeito completamente diferente.Com a morte de Tuck, um amigo do casal, o dois acabam redescobrindo esse amor, mas será que Amanda poderia deixar seu marido e seus filhos para trás para continuar escrevendo uma história inacabada?

Ninguém pode negar que o Nicholas Sparks é perfeito, só que ela tem me desapontado um pouco pela sua falta de originalidade. O Melhor de Mim teve como base uma história igualzinha a Diário de Uma Paixão, e isso fica bem perceptível porque eu só assisti o filme. Ele deve estar perdendo sua originalidade, ou ele só tá ficando velhinho mesmo. É triste isso, porque eu amo os livros dele, até os que eu não li, mas eu gosto só pelo fato de que foi ele quem escreveu. Porém o final é totalmente surpreendente. Eu até chorei porque em qualquer livo que eu li, eu nunca vi um final como esse. Eu chorei, mas foi fantástico porque não foi uma coisa impossível e foi realmente criativo.

Dá muita dó do Dawson. Eu gostei muito dele, muito mesmo, mas dá uma pena porque ele não conseguiu superar o amor da Amanda, então ele acabou sendo um cara sozinho e também o fato de ele ter uma família desmiolada, porque ninguém merece ter primos e um pai psicopatas. Esses primos dele, o Abee e o Ted, são muito idiotas, porque eles se acham os gostosões, que podem encarar qualquer pessoa e tudo mais, e mesmo que no final, para a minha decepção, eles não morrem, eu ainda acredito que eles vão arder no mármore do inferno. Mentira. Mas é que eles são muito bananas, e ninguém da cidade gosta deles, inclusive eu.

Eu gostei da história. Do final, dos personagens, de tudo. Mesmo. A única coisa que foi bem ruim foi que o Nicholas pegou a mesma ideia de um livro que ele já havia escrito. O cara não tinha nada, a garota tudo, a cidade era pequena, eles se separam por causa que os pais dela não aprovam a relação, então eles se reencontram e fim. Só o fim que foi diferente, mas eu gostei bastante, bastante mesmo.

2 comentários:

  1. Esse foi um dos livros dele que eu menos gostei. Diferente de você não gostei do final, achei meio previsível e um pouco espirita também. O meu preferido dele ainda é A ultima musica. Você já leu A escolha?, achei bem diferente o estilo comparado aos outros livros dele.

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, flor.
    Adorei a resenha, aliás sou suspeita pra falar porque amo Nicholas Sparks.
    A história me parece muito linda, não parece nada com Diário de Uma Paixão, mas eu não li o livro pra falar. ¬¬'
    Ansiosa pelo livro!
    Resenhas ótimas, parabéns!
    http://vidadaleitora.blogspot.com.br/
    Beijos.

    ResponderExcluir